sábado, 12 de março de 2011

Adeus, beleza do mundo. Beleza que me é agora remota e que eu não quero mais - estou sem poder mais querer a beleza - talvez nunca a tivesse querido mesmo, mas era tão bom!

(...)

Mas com alívio infernal eu me despeço dela.

(...)

Também a beleza do sal e a beleza das lágrimas eu teria de abandonar.


Clarice Lispector, A paixão segundo G.H.

Um comentário:

Iane Braga disse...

adorei teus textos ,
perfeitos ,
lindo o blog.
Te seguindo *-*